• Carlos Guglielmeli

João Dória comemora vacina contra a Covid-19 e tritura Bolsonaro em seus erros

O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) pôde comemorar neste domingo (17) todo o investimento feito com antecipação e planejamento para a concepção e aquisição da vacina contra o novo coronavírus, após a liberação da CoronaVac pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o início imediato da imunização em seu estado.


João Dória, governador de São Paulo, comemora ao lado de primeira vacinada contra a Covid-19 no Brasil /Foto: Paulo Guereta - Folhapress

Do outro lado, mergulhado em inoperância, erros e controvérsias, o governo Bolsonaro amargou uma derrota acachapante, um vexame difícil de se ver outra vez na história brasileira.


A União, com toda a sua autonomia e poder financeiro não foi capaz de viabilizar, por exemplo, 4% das 72 milhões de seringas e agulhas já armazenadas pelo governo paulista para a vacinação. Quantidade suficiente para imunizar 80% da população do estado de São Paulo.


Além disso, o Governo Federal ainda não trouxe nenhuma única dose de vacina para solo brasileiro e, para não ficar tão atrás, a gestão Bolsonaro teve que começar sua distribuição de imunizante aos estados com a CoronaVac, atacada por ele e seus seguidores, desenvolvida e fabricada pela chinesa SinoVac em parceria com o Instituto Butantan e importada por João Dória.


O desconcertadíssimo Ministro da Saúde, General Eduardo Pazuello, ainda caiu em mais uma armadilha das retóricas inverossímeis e frágeis do governo Bolsonaro. Ele disse que as vacinas que estão em São Paulo foram pagas pelo SUS, com verba Federal, mas foi desmentido na sequência:


"Essa é uma questão jurídica, não vou responder isso agora porquê é a justiça que tem que definir. Como foi feito a entrega sem ter sido feita a liquidação em nossos depósitos, para depois a distribuição para o estado? Isso é uma questão que eu não posso responder nesse momento, é uma questão que sai, vai para o lado do contrato. tudo o que tem em São Paulo, no Butantan é contratado e pago pelo Ministério da Saúde, pago pelo SUS, pago pelos senhores" disse Pazuello.


A resposta não demorou. Durante coletiva, o governador João Dória disse:


"Ministro, ministro Eduardo Pazuello, é inacreditável como um ministro da saúde, sem o menor zelo com a saúde, sem ser médico, sem ter conhecimento nenhum da saúde, sem planejamento, um desastre completo na saúde ainda mente ao dizer isso. A vacina do Butantan só está em São Paulo e no Brasil porque foi um investimento do estado de São Paulo ministro. Não há um centavo até agora, até agora, do governo federal para a vacina. Nem para o estudo, nem para a compra, nem para o pesquisa, nada. Chega de mentira ministro."


Questionado pela imprensa sobre a fala de Dória, Eduardo Pazuello, num ato de consentimento, se calou.


No meio da tarde do domingo, caminhões refrigerados transferiram as 4,6 milhões de doses da CoronaVac do Butantan para um espaço do Ministério da Saúde no Aeroporto de Guarulhos. E nesta segunda-feira (18) os governadores foram buscar pessoalmente a sua parte cada.

Carlos Guglielmeli
Eu_com_a_mão_no_bolso_lado_direito_PNG_f

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon
Publicidade
https://www.jornalopcaodoentorno.com
https://www.jornalopcaodoentorno.com

https://www.jornalopcaodoentorno.com
https://www.jornalopcaodoentorno.com

1/4

Parabéns! Sua mensagem foi recebida.