• Carlos Guglielmeli

Falta de bom senso faz Bolsonaristas irem às ruas em manifestações que põe todas as cidades em risco


Foto: Reprodução Redes Sociais

Milhares de pessoas, apoiadores de Bolsonaro, sem um bom senso mínimo entenderam o recado irresponsável do presidente e foram às ruas em manifestações que põem todas as idades em risco.


Mas porquê em risco?


Um simples fato explica tudo, se 5 desses fanáticos que foram às ruas de Brasília, apenas cinco, forem contaminados pelo coronavírus e durante os exames contarem que não foram à países considerados críticos, que não tiveram contato com pessoas que estiveram nesses lugares e que participaram dessa manifestação, fica entendido a existência do contaminação comunitária e indefinida.


Com isso, a Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal passa para um novo estágio do combate à epidemia, a partir daí não se faz mais exames em pessoas com sintomas leves, pois não há mais a motivação da rastreabilidade para isolamento desse “ramal de contaminação”. Só são atendidos, examinados e internados casos já com sintomas graves.


Ou seja, graças aos fanáticos bolsonaristas, as pessoas vão ter que esperar elas mesmas, ou seus filhos ou seus pais e avos ficarem em estado grave para poder, só a partir daí, ser atendidos.


Mas ainda tem a desculpa de que o Covid-19 mata pouco, só que se trata de um vírus altamente transmissível e 3% 100 realmente é pouco, só três, mas a mesma porcentagem sobre 100.000 equivale a 3.000.


Isso sem contar que a letalidade do vírus está muito relacionada com a capacidade dos países em tratar seus doentes. Na China eles construíram um hospital com 2.000 leitos de UTI em 10 dias, a letalidade do coronavírus está pouco abaixo dos 3%, já na Itália, onde faltam leitos, a mortandade está sendo divulgada em 5% dos casos positivos para Covid-19.


Qual será esse índice no Brasil eu que seu presidente falara que o vírus que assusta o mundo todo não é nada e tem em seu país apenas 28 mil leitos de UTI, contando toda a rede pública e filantrópica nacional? Só o estado de São Paulo calcula necessitar de 45 mil leitos em três meses se a evolução da doença continuar como está.


Está feita mais uma lambança presidencial, que também vai ser terceirizada.

Entenda porque as manifestações podem claramente ser chamados de atos presidenciais:


A duas semanas o presidente Bolsonaro convocou poucas pessoas à participar das manifestações contra o Congresso Nacional, contra o STF e a seu próprio favor. Óbvio e como ele esperava, isso foi printado, se espalhou nas redes sociais e virou polêmica na imprensa.


Pronto, convite feito em alta escala.


Na terça-feira (10), dos EUA o presidente disse:

Pequena crise do coronavírus é mais fantasia e não é tudo isso que a imprensa propaga”.


No dia seguinte, quarta-feira (11), já no Brasil Bolsonaro comentou a decisão da OMS em decretar Pandemia Mundial por conta do Covid-19:

“Eu não acho... eu não sou médico. Eu não sou infectologista. O que eu ouvi até o momento [é que] outras gripes mataram mais do que essa”


Pronto, a gravidade do coronavírus foi rebaixada e o vírus deixou de ser empecilho para os fanáticos.


Na sexta-feira Bolsonaro falou em um pronunciamento recheado tergiversação que a realização das manifestações precisavam ser “revistas”.


Pronto, a responsabilidade, apenas oficialmente, não será mais do planalto.



Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon