• Carlos Guglielmeli

Enquanto Bolsonaro faz campanha contra medidas de prevenção, Brasil perde tempo contra o coronavírus


Foto: Reprodução de Redes Sociais

Todos os governantes de todos os países do planeta, inclusive o norte-americano Donald Trump, um dos últimos a entender a gravidade do Covid-19 (novo coronavírus), estão concentrando suas energias em conter o avanço da Pandemia e se estruturar para atender os doentes que certamente vão aparecer.


No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro, de maneira delinquente, está estritamente dedicado em fazer política e se salvar do erro que cometeu no início da pandemia, ao desprezar a gravidade do coronavírus, esperando exclusivamente por uma sorte que não se viu em nenhum outro lugar do planeta.


Enquanto Bolsonaro passeava pelas ruas do Distrito Federal, contrariando as determinações do seu próprio Ministério da Saúde, da OMS (Organização Mundial de Saúde) e do governador daquela Unidade Federativa, o outros chefes de estado estrangeiros estavam fazendo transferência de dinheiro muito mais ousadas que a brasileira para as suas populações, construindo mais leitos hospitalares, buscando produzir mais ventiladores pulmonares e entre outras coisas, pedindo para suas populações ficarem em casa.


Esse tempo perdido pela atual delinquência presidencial não só "deve" custar vidas, ela vai sim custar vidas, pois está mais do que provado para qualquer um que não tenha algum tipo de demência mental ou viva sob o efeito de alucinógenos, que todo minuto é 100% decisivo.


O tempo do isolamento social é o mesmo tempo que damos de frente para a ciência buscar tratamentos eficazes e a imunização.


Ninguém despreza a necessidade financeira das pessoas. Esse problema é muito grave sim e não deveria estar sendo usado pelo presidente para se salvar politicamente, mas sim, sendo enfrentado por um estadista responsável, que quisesse salvar "as pessoas".


Duro nisso tudo, é ver uma legião de seguidores dessa falta de discernimento, numa espécie de psicopatia coletiva, fazendo terrorismo com o emocional já fragilizado das pessoas, espalhando desinformação e criticando quem informa de verdade.


Por sorte de todos, até dos delinquentes, a grande maioria da população brasileira entendeu a gravidade do problema, viu na Itália, Espanha, Estados Unidos, no mundo todo, quais são as consequências de "sorrir na cara do perigo".


Infelizmente, dias piores, muito piores, virão e parte de todo esse mal que ainda vamos ver não terá como sair das costas do Jair Messias Bolsonaro. Nenhuma tentativa dele ou dos seus seguidores para distrair o senso comum fará as pessoas esquecerem sua negligência como chefe do país.

Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon