• Carlos Guglielmeli

Ema, ema, ema, cada um com seus problemas. E daí se quase 90 mil pessoas já morreram?


Foto: Adriano Machado / Reuters

Como a cloroquina não serve para nada e o governo brasileiro estocou centenas de milhares de caixas da droga, agora é preciso empurrar o remédio em alguém, até na pobre ema dos jardins do Alvorada.


Se não gastar logo esse estoque, ele vence e fica clara a irresponsabilidade e mal uso dos recursos públicos por parte do governo Bolsonaro.


Como o presidente Jair Bolsonaro nunca se preocupou em combater a pandemia da Covid-19, entre outras coisas, vendendo a ilusão de que um medicamento produzido no Brasil seria a salvação da pátria, tornando-a diferente do resto do mundo e justificando sua absoluta falta de preocupação, a população ficou completamente abandonada.


"A, mas o presidente criou o auxílio emergencial de 600 Reais, colocando bilhões na mão das pessoas", tentam justificar os lunatizados que subestimam a inteligência alheia.


Resta saber para quantos brasileiros esse valor ao menos chegou perto de se igualar a sua perda de renda. Não o cidadão não precisa nem deve ficar grato por "só isso" e relevar tudo o que faltou. Não foi emergencial, dada à demora, os atrasos e a precária tecnologia utilizada, tão pouco próximo do suficiente. Em outros países as compensações foram totais e imediatas.


Mesmo guardadas as devidas proporções de riquezas, daria para ser bem melhor.


A falta de empatia desses que seguem essa doutrina é tamanha, que outro dia uma aberração da raça humana comentou numa publicação do Jornal Opção do Entorno, onde os últimos dados relacionados ao novo coronavírus em Valparaíso eram retratados com números de mortos e casos, com a fala de que aqueles "caracteres" representavam 0, alguma coisa da população local. Provavelmente nenhum dos 48 mortos na cidade ou dos quase 90 mil no país são parentes e no mínimo conhecidos da anta.


Mas e de quem eles forem parentes ou amigos?


É a lógica de quem quer provocar o falso dilema entre o trabalho e a vida, como tem feito um vereador na Câmara Municipal aqui de Valparaíso e vários pré-candidatos à vereador.


A verdade sobre isso está ficando cada dia mais clara, os efeitos negativos nas economias do país, estados, municípios e residencias serão muito mais graves pela falta de controle da propagação do coronavírus e a consequente demora na parte crítica da pandemia, do que o isolamento social como maneira de quebrar o ritmo de contágio.


Quem deveria proteger lava as mãos em nome das receitas e os cidadãos ficam a deriva. Afinal eles não são coveiros e todo mundo vai morrer um dia. Não é? Ema, ema, ema, cada um com seus problemas !!!

Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon