• Carlos Guglielmeli

Bolsonaristas se vangloriam, mas R$ 400 milhões a menos para a TV Globo não faz nem cócegas



Eleita "inimiga número 1" pelo presidente Jair Bolsonaro e consequentemente pelos bolsonaristas, a rede Globo de Televisão acumula uma perca de receita, vinda dos contratos com o Governo Federal e empresas estatais, na casa dos R$ 400 milhões.


É é muito?


Para o clã Bolsonaro e para seus seguidores sim, foi um grande golpe na inimiga, mas a verdade é bem outra.


O faturamento anual da TV Globo está acima dos R$ 10 bilhões, portanto a grande cartada bolsonarista chega perto de apenas 4% da receita da gigante mundial.


Numa porcentagem tão baixa e para uma corporação do tamanho da fundada pela família Marinho, isso passa a ser apenas uma questão de remanejamento.


Por exemplo, com a chegada da CNN no Brasil, a Globo se permitiu perder jornalistas caros, empresa também cortou colaboradores e contratos de direitos de transmissão, que mesmo sendo tradicionalmente ligados à marca, não tinham a liquidez média da companhia.


Muito além dos cortes, a Globo se antecipou e investiu no crescimento de outras fontes de renda que compensarão boa parte da fração de propaganda cortada pela Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência), como é o caso da Globo Play que passou a comercializar a programação ao vivo dos canais globais que estavam restritos às operadora de TVs por assinatura.


A verdade é que, por mais que eles festejem, essa briga está perdida pelos bolsonaristas. A TV Globo vai continuar apontando os pontos fracos de todos os governos, inclusive o de Bolsonaro.

Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon