• Carlos Guglielmeli

Vereador Alceu Gomes vai ter que deixar de ser "o bom moço para todo mundo" logo logo e de


Dono de uma das personalidades mais serenas e pacíficas do meio político valparaisense, o vereador Alceu Gomes está perto de ter que sair da sua zona de conforto, onde se dá bem com todo mundo, para desenhar seu futuro político.

Com a notoriedade adquirida desde que foi eleito vereador e depois, duas vezes presidente da Câmara Municipal, Alceu se gabaritou para, obrigatoriamente, ser forte candidato a prefeito de Valparaíso, um dia.

"Um dia" esse, que pode ter se antecipado com o rompimento do prefeito Pábio Mossoró, agora filiado ao MDB, e a deputada Lêda Borges (PSDB).

Muito clicado em companhia da peessedebista, parece que é ao lado dela que o Alceu deve caminhar nas próximas eleições. Sendo assim existem três caminhos para o vereador:

  • Ser candidato à prefeito, com o apoio de Lêda Borges, liberando a deputada para buscar uma vaga na Câmara Federal em 2022;

Nessa hipótese o vereador disputaria o apoio de Lêda Borges com ela própria, que já demonstrou não querer, mas pode sim ser candidata caso essa seja a condição para vencer, e com outras possibilidades como os colegas de parlamento Zé Antônio, Elvis Santos e Ferreira, e o ex-vereador Afrânio Pimentel.

  • Ser candidato a vice-prefeito de Lêda Borges pelo PL, o que contemplaria a presidente estadual do partido, a deputada federal Magda Mofatto, que por sua vez pretende desembarcar forte na cidade para desbancar Célio Silveira e montar uma nova base eleitoral;

Como no caso anterior o Alceu estaria disputando com outros pretendentes, mas aqui, com uma pequeníssima vantagem, já que goza da simpatia do “grupo raiz” da deputada, de onde ele próprio vem.

  • Ser candidato a vereador, provavelmente pelo mesmo PL ou até mesmo pelo PSDB. o que lhe exigiria menos energia para o embate.

Finalmente, agora entramos ponto central dessa publicação, a que está no título:

Nas duas primeiras opções, o vereador Alceu vai ter que deixar de ser tão pacato e por mais energia no processo, pois se for caminhar ao lodo Lêda Borges, um caminho 99,999999% provável pelo que se vê, terá que abandonar, no mínimo um pouco, o apoio ao prefeito Pábio Mossoró dentro da Câmara.

Vai ter que, por exemplo, enfrentar o Pit Bul do governo, ou melhor, o Líder do governo algumas vezes, entre outras coisas.

Mas porquê isso parece ser difícil para ele?

Porque deve estar pensando em seus aliados que compõem a administração e podem ser sacados do governo em retalhação.

Se for isso, ele talvez não tenha parado para pensar no mesmo que o vereador Zé Antônio (MDB) já observou: O prefeito jamais arriscaria perder a maioria na Câmara, que hoje veria a oposição liderando as votações com apenas duas dissidências. Algo cada dia mais possível diante da publicidade pretendida das votações, quando eles votarem com o governo em detrimento do interesse da população.

Muita atenção nisso: A opinião pública pode mudar o comportamento dos vereadores, principalmente em ano eleitora.

Está claro que o Alceu não é pião nesse xadrez da política em Valparaíso, por isso vamos ficar daqui, de olho nos passos dele e ver qual o rumo vai tomar.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon