• Carlos Guglielmeli

Com ajuda de Caiado, o PSDB deve ter candidato a governador em 2022, tendo Marconi Perillo entre os


O povo goiano foi seduzido pelo canto da sereia, ou melhor, pelo som do berrante de Ronaldo Caiado (DEM), mas suas contradições e inoperância provadas após ser eleito governador e assumir o comando do estado de Goiás estão fortalecendo justamente o preterido PSDB, com quem antagonizou as eleições 2018.

Hoje o PSDB, tem claras três opções para a disputa pelo governo de Goiás em 2024, Jânio Darrot, Paulinho Rezende e o, até pouco tempo improvável, Marconi Perillo:

Jânio Darrot é prefeito de Trindade, não tem máculas em sua carreira, e como presidente do PSDB Goiás demonstrou liderança e visão operacional, além de estar ganhando as manchetes.

Paulinho Rezende só é conhecido fora da sua região por quem lê muito, mas muito mesmo. Trata-se de um jovem político, presidente da AGM (Associação Goiana dos Municípios) e prefeito reeleito de Hidrolândia, que conta com cerca de 70% da aprovação em sua cidade e pode representar a renovação na política por seu arrojo e idade.

Mas o improvável para o momento, Marconi Perillo, ressurge forte para essa disputa. Até pouco tempo existiam só duas possibilidades cogitadas para a sua volta às disputas eleitorais, nenhuma como candidato governador já em 2022:

  1. A menos provável, que Perillo viesse candidato à vereador de Goiânia já em 2020, o que segundo alguns poucos líderes do PSDB, passaria para a população uma imagem de humildade pela capacidade de recomeçar a carreira de baixo;

  2. Com o apoio da maioria dos tucanos, incluindo do próprio Marconi Perillo, dizem, a opção seria que o ex-governador se mantivesse ativo, mas na articulação, no comando partidário e só volte à disputar eleição em 2022 como candidato à deputado federal ou em 2026 como governador, porém é consenso que muito tempo assim, fora da disputa, pode esvaziar seu capital político;

Após uma derrota acachapante como a de 2018 não seria imaginável, mas está acontecendo, o líder tucano está sendo aclamado candidato a governador já em 2022 por um movimento “Volta Marconi”, crescente em todo o estado de Goiás e em todos os meios, embalado justamente pela má gestão de Ronaldo Caiado.

Cada dia mais, a população e as categorias estão comparando esse primeiro ano de Caiado no comando do estado com o de Marconi, lá em 1999, quando o peessedebista herdou duas folhas salariais atrasadas, além do 13º para pagar e dívidas correspondentes a 352% da receita anual do estado e mesmo assim não houve a celeuma vista hoje, quando o democrata assumiu o comando de Goiás com uma folha salarial para pagar, dentro do prazo constitucional, e apenas 12,74% do orçamento comprometido com dívidas.

A diferença no comportamento de ambos e a inferioridade dos resultados de Caiado, mesmo em condições bem mais favoráveis, estão fazendo o povo goiano, principalmente os servidores públicos, avaliarem que eram felizes e não sabiam.

O pleito eleitoral de 2020 deve ser pano de fundo para as disputas de 2022, por isso o PSDB e Marconi Perillo devem redobrar esforços para manter a maioria das prefeituras goianas sob o comando de correligionários ou aliados confiáveis.

E o que nos resta é acompanhar.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon