• Carlos Guglielmeli / Foto: Reprodução

Venezuela dá novo calote no BNDES e, segundo a política econômica dos governos Lula e Dilma, quem pa


Esse é o resultado do “apoio aos negócios de empresas brasileiras no exterior” praticado nos governos Lula e Dilma, mais um calote dado no BNDES que o Tesouro Nacional tem que assumir, dessa vez de quase R$ 1 Bilhão.

Levada a uma grave crise política, social e econômica provocadas pelas mesmas ideologias que fizeram o Brasil emprestar dinheiro para empresas nacionais tocarem obras em seu território, a Venezuela deixou de pagar US$ 271 Milhões ou R$ 901 Bilhões, ao câmbio de segunda-feira, 19/03, para o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

O calote está sendo dado desta vez na parcela de janeiro, por isso o banco de fomento brasileiro acionou o FGE (Fundo Garantidor de Exportações) que deu garantia ao negócio entre o governo venezuelano e as empreiteiras brasileiras, praticamente todas implicadas na Lava Jato.

Na prática, quem está pagando pelo calote venezuelano no BNDES é o contribuinte brasileiro que sofre a falta de serviços públicos, supostamente por falta de orçamento. O FGE é um fundo do Tesouro Nacional ligado ao Ministério da Fazenda que tem a finalidade de cobrir as garantias prestadas pela união em operações de crédito à exportação.

Trocando em miúdos, na política financeira do Lulopetismo o Brasil é o credor e o avalista da transação comercial, seu banco empresta o dinheiro e seu governo garante o pagamento no caso de calote.

Neste caso o governo brasileiro vai pagar a dívida da Venezuela com o BNDES com o dinheiro dos nossos impostos. Um negócio da China, para os venezuelanos.

Outros países alinhados ideologicamente com os governos petistas também já nos deram calote, R$ 1,5 Bilhões já foram tirados dos cofres públicos brasileiros para pagar dívidas de Moçambique, por exemplo.

Em setembro a Venezuela do ídolo petista, Nicolas Maduro, deu um calote semelhante que saudou agora em janeiro, totalizando mais de R$ 800 Milhões.

O BNDES comunicou que os governos brasileiro e venezuelano estão em negociação para solucionar o impasse econômico, enquanto isso o dinheiro da sociedade brasileira fica lá, saudando o débito de “Los Hermanos”... Do PT.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon