• Carlos Guglielmeli

Lula é ladrão e seu lugar é na prisão?


Depois da sentença que condenou o ex-presidente Lula a 09 e meio de prisão, os lados em defesa e condenando o líder petista se acirram.

Sem outra alternativa para salvar sua biografia do abismo, ao ser sentenciado Lula assumiu escancaradamente a postura de pré-candidato a presidente em 2018. O ex-presidente precisa e quer voltar ao Planalto a todo custo para se livrar de juizados comuns e não finalizar sua vida pública no mais baixo nível.

Por mais que neguem, os “Lulopetistas” entendem a decepção com as denúncias diárias que colocam Lula e o PT no centro de um cenário político caótico, porém, como se tivessem um firewall contra os defeitos delituosos dos “companheiros”, desconsideram todas as evidências contra o ídolo.

O que antes era orgulhosamente a esperança de mudança, agora é, despudoradamente, “o que rouba, mas faz”.

Baseado em pesquisas qualitativas, a maioria dos Lulopetistas não tem acesso e ou interesse pela informação, por isso não compreendem ou não querem saber que uma crise econômica não se cria da noite para o dia, que ela vinha sendo anunciada desde 2013, que os ministros de Temer presos também foram ministros de Lula e por fim, que Temer está presidente hoje justamente porque fazia parte do mesmo conluio lulista e petista.

Sem nenhum compromisso com a recuperação do Brasil, a divisão de “nós contra eles” estrategicamente usada pelo próprio petismo, que aqui exemplifico com a exploração das lutas de classe como a dos proletários contra burgueses, dos sem terras contra latifundiários, dos trabalhadores contra patrões, está polarizando o país, “politiqueiramente” e perigosamente, à beira de um abismo do qual nem um Lula santo resgataria.

Do lado oposto estão os que enxergam a contaminação do meio político, mas por civismo ou até por interesse próprio, lutam contra o que classificam como “populismo Chavista ou Castrista brasileiro”.

Manifestações a favor e contra Lula estão se tornando cada vez mais frequentes, entusiasmadas e até acirradas, o “Lula ladrão, seu lugar é na prisão” e o “Olê olê olê ola, Lula, Lula” estão sendo entoados a todo instante e as vezes se enfrentando diretamente.

De negativo e positivo ainda é difícil saber o que se vai tirar dessa situação, mas é fato que o clima está tenso e nenhuma evidência ou as milhares delas parecem capazes de abrir os olhos da turma do “Lula lá”, caso contrário o ex-presidente seria ladrão para a maioria e acabaria mesmo na prisão.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon