• Carlos Guglielmeli

Quem está verdadeiramente com as mãos sujas de sangue são os movimentos ditos de sociedade organizad


A morte do filho de alguém, com 16 anos assassinado, não é uma coisa fácil de se abordar como um fato político frio e controverso, porém neste caso é importante falar do que permeia a tragédia.

A fala deturpada de uma jovem de também de 16 anos na Assembleia Legislativa do Paraná, sobre o amigo assassinado dentro de uma escola ocupada por protestantes revela o grau de manipulação dos movimentos organizados exercem sobre essas mentes suscetíveis.

Centenas ou milhares de estudantes estão amotinados em escolas públicas espalhadas pelo país, segundo seus cartazes, protestando contra a PEC 241, em sua maioria esmagadora sem nem saber nada ou quase nada sobre a Proposta de Emenda Constitucional, fato que já chamei anteriormente de Rebeldia sem Causa.

Incitados por movimentos sociais que por sua vez são comandados por membros ou simpatizantes dos partidos políticos depostos do poder pelo Impeachment, esses jovens, assim como outras categorias, estão sendo claramente usados como “massa de manobra” para tumultuar o presente nacional.

Parte da fala emocionada da jovem Ana Júlia diz que os deputados têm suas mãos sujas de sangue por falta de políticas públicas que assistam a juventude e os afaste, por exemplo, do mundo das drogas. Um texto evidentemente infiltrado em sua cabeça.

Em partes ela está certa e em outras não, é certo que políticos estejam com as mãos sujas de sangue, mas não por falta de políticas públicas, pois o governo deposto pelo Impeachment nos deixou cheios de políticas e projetos que assistem e beneficiam a delinquência e a subversão.

Isso é muito polêmico, mas a desorganização social é claramente uma estratégia daquela ideológica inpeachmada. Veja o vídeo do Jean Wyllys pregando a legalização das drogas para que “os garotos possam trabalhar dignamente vendendo seus entorpecentes”. Não vai longe, observemos os “Direitos Humanos” defendidos pela Deputada Maria do Rosário que vive de fazer políticas públicas para proteger bandidos.

A deposição do PTismo do poder é um momento de transição do anarquismo, propositalmente baderneiro, para a ordem social. Porém isso acontece depois de quase 14 anos de “lavagem cerebral” das pessoas mais suscetíveis.

A vigilância dos mais vulneráveis contra manipulações atraentes do “revolucionismo apenas estratégico daquela ideologia”, se tornou de suma importância para a garantia da ordem nacional futura. Essas pessoas vão precisar reaprender o que são e como são as verdadeiras instituições sociais.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon