• Carlos Guglielmeli

Na sessão do “Fight” entre vereadores o que era mais importante ficou para trás


A maioria dos vereadores de Valparaíso parecem mais atores do que vereadores de fato e o plenário da Câmara as vezes parece mais com um palco do que com um plenário de fato. O decoro ali, as vezes muito comumente, passa longe, a léguas de distância. Da sessão passada, 04/Julho/2016, falou-se muito sobre o “Fight” entre o vereador Zeca e o PTista Silvano que quase chegaram às vias de fato e quase nada foi dito sobre a "pauta bomba" do dia.

Dois assuntos polêmicos que interferem na vida futura da cidade entraram em votação, um foi a mudança na lei que regulamenta os Postos de Combustíveis e outro que tratava da suplementação orçamentária.

Quanto aos postos, a câmara aprovou o que veio da prefeita e regularizou postos que na teoria estariam em locais inapropriados. Agora está tudo liberado, é a “farra do boi”.

Com referência à suplementação, os vereadores aprovaram uma suplementação de 80%, o que significa que eles deram um cheque em branco para a Lucimar/PT gastar como quiser essa porcentagem absurda do orçamento.

Algumas coisas interessantes nessa votação precisam ser ressaltadas.

A primeira é que os vereadores e pré-candidatos a prefeito Pábio Mossoró e Marcus Vinícios mantiveram a responsabilidade e a linha adotada desde sempre apresentando uma emenda ao projeto do executivo reduzindo esse número absurdo para 50%.

A segunda é que a inconsistência danosa de vereadores que mudam suas tendências conforme seus interesses.

O vereador Prof. Silvano/PT que na gestão de Leda Borges achava 50% um absurdo e tentava emplacar 10 ou 20%, hoje aceita o absurdo vindo de sua correligionária PTista.

A outra inconsistência vem do pré-candidato a Prefeito Afrânio Pimentel que deitado em berço esplêndido com dados desatualizados e crente em sua eleição votou com a base aliada de Lucimar, provavelmente no intuito de se beneficiar com essa margem no futuro.

Parece que esses assuntos são muito distantes do povo, mas são importantes tanto para a execução dos serviços públicos quanto para entender a conduta dos parlamentares em ano eleitoral.

Esse é um assunto chato, que não dá muita audiência popular, mas é importante ser destacado.

Particularmente descarto da minha preferência eleitoral os políticos de conceitos flutuantes conforme a maré de seus interesses. Prefiro os consistentes.

É bom entender esse contesto.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon