• Carlos Guglielmeli

Povo de Valparaíso fecha a BR 040 em protesto contra a falta de segurança na cidade


Sem iluminação pública, sem um contingente policial adequado, sem limpeza urbana periódica, sem as políticas públicas eficientes de combate a violência, a bandidagem tomou conta de Valparaíso.

Por tudo isso a cidade perdeu, brutalmente, mais um de seus filhos na noite do dia 18/maio/2016. O Júnior, um jovem, cara bacana, bem educado, solícito, um amigo de todos os moradores dos bairros Cidade Jardins, do Esplanada I e II, vítima de um latrocínio.

Isso foi o estopim para que a população fosse às ruas reivindicar o seu direito de ter segurança. Um grupo de mais ou menos 300 pessoas fecharam a BR 040 organizadamente e pacificamente em protesto contra o abandono a que estão sujeitos.

Não resta dúvidas que há uma grande defasagem no contingente policial, o que é de responsabilidade do estado, porém como o que foi dito pelo próprio coronel Danilo, em reunião com os moradores, isso é uma realidade nacional, até mesmo continental. E se essa realidade nossa é a mesma de todas as outras cidades brasileiras, por que é que nossa cidade consegue ser tão pior que quase todas as outras unidades federativas nacionais no quesito segurança? Vivemos um breu administrativo local, a pauta da Prefeitura Municipal é sempre a terceirização das responsabilidades, é sempre o famoso “mi mi mi”, é sempre o jogo de empurra. Eles gastam toda sua energia inventando desculpas e armando meios de se eximir das responsabilidades. Cobram investimento do estado sem mencionar questão inadimplentes sem poder receber recursos, mesmo que alguém os queira mandar.

Uma cidade dirigida de maneira covarde não tem outro destino se não essa nossa realidade atual. A tragédia que motivou a população a protestar aconteceu em uma rua sem nenhuma iluminação pública, os bandidos se sentem confortáveis em agir aqui, tem mato que serve de esconderijo para todos os lados.

Não estou minimizando a responsabilidade do governo estadual aqui, mas em campanha a prefeita Lucimar/PT prometeu a Guarda Municipal, tudo registrado em vídeo. Nesse vídeo ela mencionou inclusive de onde viriam os recursos para a implantação, com isso ela gerou a expectativa, ganhou os votos para se eleger e mesmo assim, a poucos dias vetou, negou, esse mesmo projeto que prometera. Isso é só mais um dos itens da saga de horror a que o Valparaisense está sujeito.

Infelizmente esse é o risco de escolher as promessas fáceis de “céu de brigadeiro” em detrimento de proposições realistas e de pés no chão. Políticos que prometem muito e mais do que aquilo que são capazes de fazer estão sempre fadados a fazer menos que o mínimo, pois ficam presos na necessidade de perder temo inventando justificativas e meios de se livrar das responsabilidades assumidas.

Se eu me sinto constrangido em abordar esses assuntos frios em meio ao calor da perda de um amigo, sim eu me sinto. Triste porque eu preferia que aquela família estivesse feliz como sempre foi e eu estivesse sem assunto para tratar, mas precisamos evoluir e evitar que outras famílias sintam essa dor. Não tenho dúvidas que muitas dessas famílias sofridas querem isso, querem essa reação para que outras não sofram o mesmo mal.

Meus sentimentos, minha indignação e minha solidariedade...


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon