• Carlos Guglielmeli

Valparaíso aguentaria um segundo erro consecutivo nas eleições?


O reconhecimento popular de que a eleição de Lucimar/PT em 2012 foi um erro está comprovado em seu índice de rejeição que beira os 90%.

A cidade tem buracos espalhados por todos os cantos, quando não são buracos são remendos porcos e evidentemente frágeis, na saúde a qualidade despencou, falta tudo, na educação há um total descontrole, falta material de limpeza, merenda e não ampliaram a oferta de vagas, na segurança os postes estão apagados, os esconderijos de bandidos se multiplicaram em meio aos matagais, nas finanças a coisa vai de mal a pior, pois sem ter ofertado nada para o cidadão fala-se em um endividamento superior a R$ 30 MILHÕES.

Valparaíso está um caos à beira de um precipício.

Partindo dessa constatação entende-se que um outro erro eleitoral seria o mesmo que jogar a cidade precipício abaixo. Por isso é importante estabelecer critérios para avaliar escolher os candidatos a prefeito.

Estabelecer um modelo de governo desejado já aconteceu no meio da população quando mais de 72% dos valparaisenses passaram a clamar pela volta da ex-prefeita Leda Borges que não será candidata, mas lançou e apoia seu correligionário Pábio Mossoró a quem define como fiel, ficha limpa, consistente e capacitado.

Fora a opção Pábio Mossoró que vem definitivamente com o modelo de gestão aprendido com Leda Borges, aparecem a Ângela Pessoa e o Dr. Roberto Martins que representam a continuidade do governo Lucimar/PT e o Afrânio Pimentel que também representa, em partes, essa continuidade com alguns agravantes.

Ângela Pessoa representa a continuidade do atual governo PTista porque foi eleita na coligação do PT e atuou todos os dias de seu mandato em conformidade, apoiando e encobertando a Lucimar.

Quanto ao Roberto Martins, fraco de votos ele se filiou ao PT para bombar artificialmente sua votação caso seja candidato. Traiu sua fé e manchou sua biografia com essa escolha partidária. É indubitavelmente um mantenedor da atual gestão.

O Afrânio Pimentel, mesmo se dizendo da oposição a gestão do PT, representa a continuidade do modelo PTista de governo porque vem recebendo apoio de vereadores da base do governista sem que eles deixem de ser governo, o que dá indícios de um acordo subterrâneo entre o mesmo e o atual governo.

Os agravantes com relação ao Afrânio são as dúvidas a respeito de qual seria o seu modelo de gestão, o quanto ele e seus apoios copiariam a Lucimar/PT e as dúvidas que pairam sobre ele com relação a sua conduta.

Outros pré-candidatos como Antônio Reis, Fernando Net, Fábio Morais, Plácido Cunha e Iraquitam são riscos que não têm força para superar essa alcunha de risco, portando a sociedade deve rejeita-los.

Essas questões precisam estar claras na mente da população, pois o atual governo levou a cidade para a beira do abismo e errar novamente seria o mesmo que empurra-lo para a destruição definitiva.

Para facilitar podemos fazer a seguinte relação, “quem tem saudade de Leda Borges tem que apoiar Pábio Mossoró e quem não quer mais o governo Lucimar /PT não pode apoiar Afrânio, Ângela Pessoa e nem em Roberto Martins.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon