• Carlos Guglielmeli

O bem que queremos e podemos fazer para nossa cidade ditos como em uma carta de esperança e confianç


Com muito pé no chão e honestidade queremos e vamos recuperar a vocação de nossa cidade em se desenvolver e fazê-la protagonista no crescimento social do estado. Voltaremos a ser a “pérola do entorno”.

Não vai ser fácil dado o tamanho da destruição causada pelo PT de Lucimar, Dr. Roberto Martins e Prof. Silvano, mas não seremos covardes como eles são quando passam todo o tempo choramingando e inventando desculpas para justificar o que não fazem. Os problemas serão enfrentados com toda a energia da qual dispomos.

Não tenho dúvidas de que Pábio Mossoró esteja pronto para sanar todas as mazelas deixadas pela turma do PT. As dívidas serão pagas e a capacidade de investimento do governo reestabelecida. A oferta de serviços públicos será qualificada, vai se ajustar e atender as necessidades do povo.

Temos a clareza de que vamos assumir uma cidade quebrada e em um momento de crise, onde a arrecadação estará menor e as necessidades muito maiores, mas todas as frentes serão atacadas. Vamos evoluir em todos os setores.

Não será possível fazer um governo de grandes obras, mas será um governo limpo e justo que fará muito mais do que o mínimo.

Com criatividade e eficiência quero “eu” ajudar na busca de recursos adicionais para preencher as lacunas da crise e do buraco PTista nas finanças.

Sei que a maioria dos ministérios nunca executam 100% de seus orçamentos, sabendo disso nós vamos buscar essas sobras apresentando projetos que podem trazer obras e ofertas de serviços nas quais a prefeitura teria de investir e ficará liberada de fazê-lo, podendo realocar os recursos em outras demandas, ampliando assim a atuação inicialmente possível.

De maneira geral o que se pode prometer e assegurar é que seremos uma equipe honesta, dinâmica e comprometida apenas com a cidade, pois sei que neste grupo a administração não está sendo loteada. Os compromissos que tenho visto o pré-candidato a prefeito Pábio Mossoró fazer são apenas com a sociedade e mais ninguém.

Falar deste assunto na primeira pessoa do plural e do singular exige, sem falsa modéstia, uma dose de coragem, pois certamente quem se opõe às pessoas inclusas nestes pronomes vão deturpar a única intenção de demonstrar esperança e confiança.

De uma maneira geral e sem pormenorizar uma estratégia de administração, o que me faria escrever muito mais linhas, é pretensiosamente quase isso o que se pode dizer.

Tempos melhores estão por vir !!!

#euacredito


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon