• Carlos Guglielmeli

Nas “eleições do vai ou racha”, a responsabilidade dos formadores de opinião e dos pré-candidatos a


Outro dia vi um rapaz defendendo o nome de um pré-candidato a prefeito porque ele é mais popular em detrimento do outro que o outro que seria mais quieto. Agora vejam só se isso é critério para uma escolha como essas?

Quando falo em “eleições do vai ou racha” estou me referindo ao estado crítico em que a cidade se encontra, que de tão crítico ou elegemos um bom governo ou a cidade será implodida.

A responsabilidade dos formadores de opinião é decisiva porque a eles cabe a tarefa de escolher pré-candidatos adequados e capacitados para administrar, gerenciar a cidade e em seguida convencer os menos informados para que eles não cometam os mesmos erros de 2012 que fez nossa Valparaíso andar ao menos vinte anos para trás.

Quanto aos pré-candidatos a qualquer coisa, eles precisam se qualificar e entender o que poderão e deverão fazer nas prefeituras e nas câmaras municipais.

Nossa cidade está repleta de pré-candidatos a vereador ao estilo o tal da Padaria que, na minha opinião, tem as abordagens mais esdrúxulas já vistas em nossa “casa de Leis”, que chega ao cúmulo de entregar sorridente e orgulhoso de si, lixeiras feitas de resto de madeira fixando-as no meio de um matagal para a sociedade. E o pior é que ele mesmo tira fotos e posta em redes sociais como se aquilo fosse algo extraordinário.

Contra esses desqualificados só o povo pode fazer algo. Não é fácil ensinar isso para as pessoas tão carentes de conhecimento, sei que não, mas elas precisam entender que se cometerem mais um erro a cidade explode.

Penso que devemos renovar de 80 a 90% da Câmara Municipal de Valparaíso e que, diante de tamanha destruição da cidade, nenhum dos vereadores que governaram juntos da Lucimar devem receber mais que o seu único voto.

A população precisa entender o valor que tem seus votos, é um poder imenso, para o bem ou para o mal. Não podem desperdiça-lo com quem lhes ofereça R$ 50,00 ou um caminhão de areia.

O eleitor tem que entender que ninguém consegue descobrir em quem ele votou, que o voto é secreto e que se o caminhão de areia descarregar em seu quintal ou lhe derem uma cesta básica, o voto dele, ainda assim, pode ser dado aos candidatos que ele entenda que vão melhorar a cidade.

É importantíssimo essa consciência para que os candidatos sem mandatos vençam os ricos vereadores do governo.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon