• Carlos Guglielmeli

Mais forte do que nunca, Leda Borges confirma a importância do entorno no cenário Político e Econômi


Como de sua natureza, ao ser questionada em entrevista dada ao Jornal Opção, a Deputada licenciada e Secretária de Estado Leda Borges não se furtou a falar de futuro, não se esquivou de esclarecer assuntos polêmicos explorados pelos adversários e deu seu recado de que está mais forte do que nunca.

A entrevista é muito longa, por isso vou transcrever apenas as partes que dizem respeito aos três destaques dados no paragrafo anterior. Mesmo assim esse texto ficou extenso, mas vale a leitura.

1) Leda Borges fala de um futuro promissor, comprova a importância que ajuda a dar para o entorno e demonstra sua característica de lealdade:

Euler de França Belém – Tancredo Neves tinha uma frase: “O futuro é construído no presente”. O futuro nunca existiu, nem existirá. A sra. diz que não planeja o futuro, mas os seus adversários planejam e o próprio governador tem uma visão, uma ideia de futuro. Hoje, a sra. é cotada para ser candidata a vice-governadora. Se for chamada para ser vice, a sra. aceitaria?

Tenho uma premissa na vida. Tudo o que bate à minha porta, é para mim. Não conhecia o prefeito de Valparaíso quando me tornei secretária de Educa­ção. Eu não trago a trajetória política como uma obrigação. Eu contribuo para ela, como tenho feito. Os desafios são para mim, quais forem eles. Faço o melhor possível. Para quê? Não sei, mas tenho que construir. Não posso pegar a minha caneta e desconstruir. Ela precisa estar a serviço da construção, seja do cidadão ou do governo do qual faço parte. O que tocar, eu danço.

Eu estou no projeto do governador Marconi, sabendo que José Eliton é nosso candidato e eu faço o que me couber dentro desse projeto, pois creio nele. Então, o governador precisa ter alternativas de região. Uma pergunta que vocês ainda não me fizeram é “se eu vou bater de frente com algum projeto do Célio Silveira”. Jamais. Por quê? Acima de qualquer interesse pessoal meu, está a minha região. Na fila, o Célio está na minha frente e eu não tentarei superá-lo. Eu posso ser mais uma, mas bater de frente não, pois quem perderá com isso será a minha região.

Como uma região com 800 mil eleitores tem apenas um deputado federal que mora na região? A quem interessa o enfraquecimento do Entorno? A mim não pode interessar. Mas interessa a muitos, pois nossa região é uma das mais fortes do Estado; ela define eleições. Já definiu duas vezes. Portanto, eu não posso colocar interesses pessoais ou projetos políticos pessoais acima do grupo e acima da minha região.

2) Antes dessa resposta a Deputada do entorno falou, sem nenhum receio, sobre um processo cheio de falhas que os adversários tentam usar contra ela:

Cezar Santos – Recentemente, a sra. foi condenada em primeira ins­tân­cia por improbidade administrativa em relação à época em que foi pre­feita de Valparaíso. Esclareça me­lhor a questão. A sra. vai recorrer?

Meus advogados já estão preparando o recurso de apelação por entenderem que a sentença traz muitas inconsistências e uma argumentação contraditória. Portanto, esperamos a reforma da sentença na sua íntegra. E não houve condenação por enriquecimento ilícito ou desvio de verba pública. Na própria sentença, o juiz reconhece que não tem dosimetria para falar de enriquecimento ilícito nem de desvio de recurso público. Na verdade, é questionado que a agência de publicidade, que era contratada licitamente pela prefeitura, havia pagado um jornal e o juiz entendeu que era autopromoção. Portanto, o assunto principal deste processo foi a utilização do jornal para me autopromover. Só que nós nunca pagamos esse jornal com verba pública. Nem a agência nunca pagou.

3) A diante, a Supersecretária Leda Borges fala de como pode contribuir mais como secretária e comenta como sendo uma, ela funciona como sendo duas coisas:

Cezar Santos – O Entorno possui muitas carências. Atualmente secretária, o que sua pasta tem oferecido para aquela região?

Dos quase 33 mil votos que tive, 22,7 mil foram de minha cidade, 10 mil foram dos demais municípios e os demais de outras localidades, inclusive Goiânia, onde tive cerca de 400 votos. Estar secretária licenciada de meu mandato de deputada tem três grandes simbolismos. O primeiro é o reconhecimento do governador à nossa região — somos apenas dez secretários e ocupo uma das três supersecretarias. Isso é uma mensagem muito importante para mim e para o Entorno, pois diz que lá tem gente competente.

Sou a única secretária do interior e sou do Entorno. É realmente algo emblemático, que nos dá orgulho. Os prefeitos têm esse sentimento e a população também. Como se­cretária, eu tenho como desempenhar os dois papéis ao mes­mo tempo: o do pleito, como de­putada, e o da efetivação, co­mo secretária. Ou seja, eu peço para mim mesma, com a concordância do governador. Não há ninguém entre nós dois. É um caminho bem menor. Não dá para ter noção da efetivação de ações a partir dessa posição. Despacho com o governador como auxiliar, como política e como deputada.

Cezar Santos – Em que isso beneficiou a região, em sentido prático?

Eu posso citar os Itegos – os institutos técnicos estaduais na região; os colégios estaduais; mais uma unidade da UEG [Univer­sidade Estadual de Goiás], em Valparaíso; o restaurante cidadão, também em Val­paraíso, cujos recursos federais eu consegui como prefeita, construí, mas a atual prefeita [Lu­ci­mar Nasci­mento, do PT] não o abriu. O governador bancou agora a abertura do restaurante. Temos também o Hospital de Urgências do Entorno Sul, ainda em Valpa­raíso, que já está com área desapropriada e paga, com 109 mil metros quadrados, ao custo de R$ 22 milhões. Até o fim do governo estará construído.

No Entorno Norte haverá outro hospital de urgências. O planejamento regional da região passa também por unidades do Corpo de Bombeiros para os municípios, porque temos cidades muito populosas. De nossa pasta, especificamente, tivemos o Ação Cidadã indo a todos os municípios.

Por fim, tivemos também a retomada do reabastecimento pela represa de Corumbá, que são 30 anos de água garantidos. O Estado de Goiás já fez o que lhe coube e agora esperamos a parte elétrica, mas esta precisa que a Caesb [empresa de saneamento do governo do DF] execute 20% de sua parte na obra. A adutora está em minha cidade e Goiás já fez toda a ligação da captação, em Corumbá, até Valparaíso. Em 2011, o governador retomou e fez sua parte; agora resta Brasília fazer também.

Várias outras questões muito interessantes foram abordadas, o que faz valer apena a leitura integral da entrevista linkada.

O importante é a conclusão de que a força do entorno dentro do estado só cresce com Leda Borges e que ela está firme em uma crescente que trará benefícios para a região.

Agora o que temos de fazer, como povo, é a nossa parte elegendo o próximo prefeito alinhado com o estado e dar fim a atual gestão que fez Valparaíso retroceder uns 10 a 20 anos.


Carlos Guglielmeli

O nosso objetivo é comentar as notícias com uma pitada de avaliação pessoal. Aqui a primeira pessoa, tanto singular como do plural, não são proibidas nos textos.

Boa leitura!

Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon